terça-feira, 26 de abril de 2016

Ferreira de Castro

Contou-me esta manhã, em menos de um café, o quanto acha espantoso descobrir-se transformado, comprimido e retocado, para conseguir penetrar no coração da sua jovem mulher. Que deve submeter-se às suas leis intimas, corresponder ao cliché dos seus sonhos, dos seus filmes e romances. Ser ora o esposo perfeito, ora o amante original, o amigo platónico ou o confidente. Assistir à sua própria decomposição em pedacinhos mastigados com delicia para alimentar aquele corpo magro de peitos grandes, o seu sangue anémico, os seus impulsos caprichosos e fúteis. 
Ferreira de Castro vai no seu terceiro casamento. Ferreira de Castro está com muito bom ar. 

4 comentários:

  1. Perdoe-me a ignorância de não conhecer Ferreira de Castro... Vou me informar! Mas já posso notar que trata-se de um homem corajoso e criativo! Abraço (Im)pontual !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ferreira de Castro sempre quis o mundo inteiro.

      Eliminar