quarta-feira, 8 de junho de 2016

Ester.

Morena, olhar profundo, cabelo acobreado, pele fresca e mate, seios cheios, cintura miraculosa, tornozelos finos, uns sapatos de pele de antílope, de salto alto, por baixo do casaco comprido um vestido preto, fino, frio, de mangas curtas, e uma carteira a abarrotar de fantasias. Esbelta e rápida de movimentos, ansiosa por ver e por ser vista. Não parecia destinada a um único amante. Também estava só.

7 comentários:

  1. (Im)pontualmente ter-lhe-á tirado o casaco, pois não o vejo a ver, para lá das mangas do mesmo. A solidão, mesmo que ocasional, pode ter dessas coisas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. À solidão o que importa é povoa-la.

      Eliminar
    2. Não concordo mas, respeito a sua opinião. :)

      Eliminar
    3. Como sabe, o respeito é mutuo.

      Eliminar
  2. Impontual, e o que fizeste com a adjectivação?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijei-lhe a mão. Que é o que tem de ser feito perante uma dama.

      Eliminar
    2. Uau, isso é muito sensual... Bem sei. :)

      Eliminar