terça-feira, 7 de junho de 2016

Lapsos de consciência.

Não pude resistir àqueles olhos tristes, de olhar sereno, trespassando os meus. Sentir a sua voz de veludo acariciar-me por dentro e não saber o que dizer. Somente inspirar o suave perfume que exalava do seu corpo e inundava o ar ainda húmido desta Primavera lenta. Trouxe esse aroma gravado na memória e incrustado nas entranhas. Só receio não conseguir conservar o sabor daqueles lábios sedentos.

13 comentários:

  1. Há algo de sedutor na fragilidade, na tristeza, na melancolia...
    Impontual, e é 'preciso' algo que chore, que grite... numa mulher.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perfeito , Isabel.
      Não há nada como um tesouro de sensibilidades e de afectos, oculto.

      Eliminar
  2. É como a Isabel diz, também eu penso assim. Depois, é só olhar em volta e ver que a alegria não se escreve, não se lê, não se compra. Talvez porque quem é alegre não tenha tempo para escrever, ocupado que anda a viver a sua alegria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fez-me lembrar agora a Alice Ruíz:"a gaveta da alegria já está cheia de ficar vazia".

      Como vai, noname? :)

      Eliminar
    2. Vou a pé, que caminhar faz bem :)

      Grata pelo cuidado mas, eu estou bem.
      E o Senhor como está?

      Eliminar
  3. Olhares serenos, trespassados mortalmente pela saudade e que num reflexo de agonia nos violentam a alma. Conheço-os de cor...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai sim, Sinfodónica? Conte-nos tudo sobre isso das almas partidas com sorrisos nos lábios...

      :)

      Eliminar
    2. Será sempre bem-vindo no meu recanto onde tenho deixado pequenos retalhos desses meus sentires, caso o deseje, obviamente :)))

      Eliminar
    3. Já de lá venho e muito bem impressionado: "quando o teu olhar penetrou o meu, confesso que não esperava que despertasses em mim os Seven Devils acorrentados e amordaçados..."

      ;)

      Eliminar
  4. Não se esquece algo que se nos incrustada nas entranhas, muito menos a avidez doce de uma boca.

    Beijo, Impontual :)

    ResponderEliminar