quinta-feira, 30 de junho de 2016

Um amor morto.

Parece tão simples, digo a mim mesmo, tão simples. Não a conheço. Não lhe noto artifícios, não há grandes palavras a dar o ar importante, não há ideias gerais para dar ideia de que o autor é inteligente. Nada de poses, nada de maneiras. As palavras virtuais, que são as que eu conheço, de Carla Pinto Coelho parecem coincidir com ela, com aquilo que ela é, no fundo de si própria, no seu dia a dia. Uma rapariga simples. Parece ter pequenas molas que estão enraizadas no fundo do seu ventre, no seu coração, e que afloram sob a pele do leitor/seguidor que salta de umas para as outras sem parar.

Ide aqui conhecer a sua obra primeira e deixai o vosso contributo.

6 comentários:

  1. Não tenho palavras para responder a este texto, Impontual.
    Estou muito comovida, essa é a verdade.
    Muito mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carinho e amizade no virtual? Claro que existe!

      :)

      Eliminar
  2. Que bonito. Me soa interessante tua escrita! =D

    ResponderEliminar
  3. Eu já lá fui! :)

    Um abraço, Impontual. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu queria saber como se lá vai :)

      Eliminar
    2. Para contribuíres é este o link: http://ppl.com.pt/pt/livros-de-ontem/um-amor-morto :)

      Eliminar