sábado, 9 de julho de 2016

Movimento "Queremos ouvir os bloggers a declamar poesia".

Respondendo com atraso, como de resto é apanágio cá da casa, ao magnífico movimento criado por Dom Pipoco Mais Salgado.


A tua vida é a tua vida
Não a deixes ser dividida em submissão fria.
Está atento
Há outros caminhos,
Há uma luz algures.
Pode não ser muita luz mas
vence a escuridão.
Está atento.
Os deuses oferecer-te-ão hipóteses.
Conhece-as.
Agarra-as.
Não podes vencer a morte mas
podes vencer a morte em vida, às vezes.
E quanto mais aprendes a fazê-lo,
mais luz haverá.
A tua vida é a tua vida.
Memoriza-o enquanto a tens.
És magnífico.
Os deuses esperam por se deliciarem
em ti.

__ Charles Bukowski - The Laughing Heart

27 comentários:

  1. Gosto! Poema, voz, adesão à iniciativa... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Carla. Gostei muito de ouvir-te. :)

      Eliminar
  2. Lembro-me de alguém ter-me dedicado este poema pelo Natal. Foi um belíssimo presente. :)

    Gostei de ouvir-te a declamar o poema, I. :)

    Deixo-te um beijo no teu coração. :)

    ResponderEliminar
  3. Impontual, imaginava-te com esse registo vocal.
    Gostei muito de te ouvir.
    ;)

    Não deixa de ser curioso verificar que há pessoas que são tão ciosas do anonimato, se assim se pode dizer, no que respeita à imagem, mas não se importam de desvendar uma marca única, qual impressão digital, e que é a voz.
    Será a voz subestimada enquanto elemento diferenciador e considerada pouco relevante quanto à caracterização da pessoa diz respeito?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Isabel.

      Isso já é a consciência (aquela voz interior) que nos adverte de que alguém pode estar a olhar. :)

      Eliminar
  4. O puzzle vai-se completando :)
    Bonita declamação / dissertação, Impontual.
    Beijo e abraço, e muito grata por este momento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há puzzles que nunca se completam, Sandra Louçano.

      Eu é que sou grato.

      Eliminar
  5. Grande momento, meu caro. Agradeço-lhe a generosidade de ter partilhado.

    (e Bukowski assenta-lhe tão bem...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, meu caro Pipoco Mais salgado.
      Enorme, foi a iniciativa.
      Abraço

      Eliminar
  6. Bukowsky tão bem dito!

    Boa noite, Impontual :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado , Maria Eu.
      Que emoção ouvi-la. Que emoção!

      Eliminar
  7. Boa
    Não sabia desse movimento
    Também vou fazer um
    :)

    ResponderEliminar
  8. Desta vez, não há nada de impontual - tudo foi pontualmente dito, com a pontuação certa.

    Gostei viu?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Noname.
      Que tremor suave, ouvir a sua voz!

      Eliminar
  9. seria esta a voz que eu escolheria para si, se houvesse um catálogo de vozes. e bukowski, sem dúvida.
    obrigada por se fazer ouvir :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grato sou eu, Ana.
      Adorei a sua voz de mar ao fundo. :)

      Eliminar
  10. Um poema declamado pode ser uma anotação na margem de uma página de poesia. Prolonga, acrescenta, personaliza e faz crescer o que foi escrito. A voz empresta uma outra vida às palavras. Confere-lhes calor, intimidade, uma significação da cor do sangue. A sua voz soube escolher o poema certo. E eu gostei muito de o ouvir. E de conhecer mais um bocadinho de si.

    Um abraço, Impontual

    ResponderEliminar

  11. Quase atrasada cheguei eu... mas ainda a tempo de te escutar :)

    Agora pensando no poema que acabei de ouvir (em bis) declamado por ti... de facto, cada dia que vivemos é mais um dia que vencemos a morte.

    Gosto de vozes bonitas. Gostei da tua.
    Obrigada Impontual.
    Beijinho de boa noite
    (^^)

    ResponderEliminar