quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Arroteamento.

Dela quer sempre tudo. Ver todos os seus rostos, todos os seus medos, todas as suas audácias, aquele sentimento novo que inventa de cada vez que a volta do avesso como quem vira uma luva e que faz surgir em si territórios desconhecidos, para onde se deixa arrastar aterrorizado, voluntário e seguro de se aproximar de uma luz que o cega, mas que lhe fala de amor, de identidade, de terra por desbravar. 

Ainda há quem trabalhe em Agosto!

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Bom dia, noname. Bom Agosto, boa luz, boa terra desconhecida...

      Eliminar
  2. A terra a quem a trabalha!? :P

    Beijos, Impontual :)

    ResponderEliminar
  3. Se pensas, Man with a chair in the attic, que só tu amas a flor, estás muito enganado. Somos muitos :P

    ResponderEliminar