domingo, 18 de setembro de 2016

Correlações

Num país onde as altas instâncias judiciais dão entrevistas sobre processos mediáticos irresolúveis, num país onde as altas instâncias jornalísticas escrevem livros a revelar histórias pessoais que lhe foram confiadas off the record, porque é que o Big Brother não haveria de ser o programa mais visto da televisão?

13 comentários:

  1. É verdade, é o país que temos e que somos.

    ResponderEliminar
  2. Dizem que agora é "A casa dos segredos". Julgo que se referem a segredos de Polichinelo!
    Os sentimentos de fancaria, as facadas nas costas dos incautos e a absoluta falta de vergonha entram-nos casa adentro e pouco podemos fazer contra isso. Raios partam esta nojice!

    Beijos, Impontual

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Polichinelo! Que palavra magnifica, Maria! :)

      Beijo

      Eliminar
  3. Se me permitem, Impontual e Maria TU, "a tal casa" só resiste, porque há quem veja. Ah, pois é...
    Uma vez que aquilo e outros programas da tanga, vivem de audiências, não me resta outra conclusão. Há muita gente e adorar a nojice a nojice.
    É o país que temos e somos, diz alguém aí para cima... E tem razão.

    :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há de facto uma tacanhez equilibrada entre a oferta e procura.

      Eliminar
  4. Olhe, eu não vejo nem ouço nem leio...comigo não têm audiências.
    Bom dia Impontual!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. agente passivo de circunstancia é o que lhe chamariam os entendidos da comunicação. :)

      Eliminar
  5. Óbviamente! O que a malta gosta é de cuscar, e hoje já ninguém tem tempo para se pôr a janela a ver a vida dos outros, por isso...

    :)

    ResponderEliminar
  6. É o país que temos. As pessoas deliram com a vida dos outros, com a desgraça do próximo, fazem orçamentos na estrada aos acidentes, prognósticos reservados nos hospitais ao vizinho do lado, falam da vizinha e do colega de trabalho por isso não me admira que comprem um livro para saber quem dormiu com quem ou que a Carolina Amarga cortava as unhas do pés ao Sr. Pintinho da Costa... um assunto tão importante nem sei como perdi isso.

    Não vejo Casas sem segredos, nem quintas com seres humanos, nem irmandades big qualquer coisa, fujo disso a sete pés, confesso que para vida já tenho a minha e às vezes tenho alguma dificuldade em lidar com ela.

    :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso, Ac.
      A pergunta é: as pessoas são todas muito ocupadas. mas com quê?

      :)

      Eliminar
    2. Com a vida dos outros? Desleixando as suas? Será?
      Tenho a minha, dá-me tanto trabalho, tanta preocupação e satisfação que sou totalmente absorvida por ela resta-me pouco tempo para as outras.

      Eliminar