sábado, 1 de outubro de 2016

Chacota.

Eu se fosse americano estaria agora numa profunda reflexão do tipo: nós que fomos os primeiros a ir à lua, nós que inventamos a Internet, nós que mostramos ao mundo a bomba atómica, nós que descobrirmos a coca-cola, levamos à mesa os hambúrgueres, nós que preparamos o melhor atleta olímpico de sempre, nós que dominamos e marcamos a cadência do universo, não podemos continuar a ser gozados até Novembro. Mas como sou português, calo-me bem calado

9 comentários:

  1. Ah, mas há umas circunstâncias atenuantes -- a bomba atómica não teria sido possível sem Einstein, a ida à Lua sem Von Braun, a Internet como a conhecemos sem Tim Berners-Lee... Ou seja, não alcançaram a grandeza sozinhos -- houve sempre um (pelo menos um) europeu na rectaguarda. (E agora, em contrapartida, têm Trump, neto do germânico Drumpf, com o toque de Midas inverso, lá está).

    Um abraço, meu caro Impontual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... além de que, hoje, toda a economia chinesa - lucro, lucro, lucro - é aplicado nos States.

      Abraço, caro Xilre.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Perfeitamente, Tétisq. E não há duvida -- no deve e haver do bem e do mal é sempre o povo que sai crucificado.

      Eliminar
  3. Gozados? Mas por quem?!

    Afinal, há mais alguma coisa no mundo que a 'Merica?

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me diga que não ri com aquilo, meu caro. :)

      Eliminar
  4. Se fosses americano, não sei se conseguirias uma profunda reflexão (pronto, comentário mauzinho). Já nós só temos motivos para continuarmos agarrados ao fado...

    ResponderEliminar