terça-feira, 11 de outubro de 2016

Resolução 66/170, da Assembleia Geral das Nações Unidas

Reparei que olhava bem de frente, que não abanava as nádegas, que era uma rapariga de poucas curvas, aparentemente pouco sexy, mas com um sorriso, um sorriso que escancarava o mundo, e que a acendia toda e a deixava a transbordar sabe-se lá de quê!

17 comentários:

  1. Impontual, haja alguém que olhe por isto.
    Tu que sabes tanta coisa diz-me até que idade se é rapariga / rapaz?
    Eu costumo referir rapazes em relação aos homens da minha idade...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Isabel dos 30 aos 80 pode ter a idade que lhe apetecer.

      Eliminar
    2. Ah, isso foi por não ter dito a minha idade e, portanto, ali a última frase ficar no vazio?
      Julgava que se sabia porque já tenho dito... Tenho 52 anos (mais a tombar para os 53). Gosto de dizer a minha idade.

      Eliminar
    3. Ah, não era preciso, Isabel.
      Mas, lá está, entre os 30 e os 80 pode ter a idade que quiser. Depois... bem, depois vem o Parkinson e Alzheimer.
      Olhe, eu dei conta por estes dias, numa balança de farmácia, que ainda estou a crescer. :)

      Eliminar
  2. (Im)pontual, parece que ainda há pessoas assim, dessas que parecendo nada ter para fazer deter olhares, simplesmente se incendeiam e transbordam sabe-se lá de quê :)

    Dúvida: Havendo o AO90, o termo rapariga, não se tornou depreciativo? É que rapariga no brasil é menina mal comportada, se me faço entender :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Noname,não tenha medo de ser rapariga.

      Eliminar
    2. Com certeza que não, não fosse eu de sítio onde rapariga/rapaz - catraia/catraio - são simplesmente miúdos :)

      Ah, e não aderi ao AO90

      Eliminar
    3. Eu sei isso tudo. Por isso estranhei. :)

      Eliminar
    4. Ah, é um sabão portanto :))

      Já eu, não sei como sabe isso "tudo" pode esclarecer?

      Eliminar
    5. A noname farta-se de o dizer. Como não quer que se saiba? :)

      Eliminar
    6. Mas eu não disse que não quero que se saiba, se assim fosse, eu não dizia. Só não sabia que me lia com tanta atenção ahahahahah

      Que quer, o norte incendeia-me tanto quanto África, e faz-me transbordar sabe-se lá de quê .))

      Não, não excesso de regionalismo, é mesmo amor profundo

      Eliminar
    7. Caramba, noname! Também já deixou de acreditar no olhar em profundidade?

      Eliminar
    8. É... as coisas estão demasiadamente solúveis, volúveis e outras coisas terminadas em uveis, para acreditar assim, no momento. Mas fico contente, quando me fazem saber que ainda há em que acreditar.

      Eliminar
  3. Um sorriso desses ilumina qualquer pessoa e qualquer lugar!

    Beijos, Impontual :)

    ResponderEliminar