domingo, 13 de novembro de 2016

Constança

Em frente ao espelho ajusta o corpete, distende milimetricamente as meias pretas de cornucópias, calça os scarpins igualmente pretos, sobe a saia para três centímetros acima do nível do joelho, dá um último retoque meticuloso no véu que lhe emoldura o olhar. Logo logo atravessará a praça em passo de sessenta centímetros para ir assistir à missa das doze. Ao passar a esplanada do Café Central procurará Frederico com o olhar. Nele reserva a esperança de pôr fim aos dias sombrios, aplacar o espírito impetuoso que a consume. Do céu, profeta de todas as desgraças, não tarda vai chover.

3 comentários:

  1. Eu um dia destes lembrei-me de ir para o jardim quando estava a chover e agora estou constipada. Devia ter mais juízo, bem sei. :)

    ResponderEliminar
  2. Que destino está reservado a Constança e Frederico?!
    Mas isso agora não intetessa nada. Só sei que hei de ouvir falar deles mais vezes.
    Gostei muito de conhecer o novo casal :)
    Continuação de bom domingo.

    ResponderEliminar
  3. Poderá chover... mas Frederico conseguirá ver mais três centímetros... de bom tempo... pensa Constança... para os seus... scarpins... calculo que com um tal look... não tenha muitos botões... :-D
    Abraço!
    Ana

    ResponderEliminar