sábado, 12 de novembro de 2016

Entardecer

Há um fervilhar de rins ao cair da tarde. Há uma substância amorfa que se instala nas entranhas como um incómodo parasita. Há um veneno adocicado que tem a cor opaca do vazio e a espessura remota da névoa. Há um desejo inconsciente que desperta em redor. Há uma chama. Há acordes de vontades. Há um sono mais leve. Há um desregramento que invade os sonhos. Há sorrisos inconscientes que embriagam a lucidez. Há desígnios que se tornam insuportáveis.

5 comentários:

  1. Melhor do que nenhum desígnio.

    Beijos, Impontual :)

    ResponderEliminar
  2. Tudo isso soa-me a mousse de chocolate ... :)

    ResponderEliminar
  3. há palavras inquietas e tão bem escritas.

    ResponderEliminar
  4. Há mesmo desígnios que se tornam insuportáveis... É que dei mesmo um jeito nas costas a semana passada... e os meus rins... ainda fervilham por estes dias... :-D
    Excelentes textos, por aqui... servidos em dose gourmet... gosto imenso!!!!
    Abraço!
    Ana

    ResponderEliminar