terça-feira, 15 de novembro de 2016

Esplendor

O dia de hoje parece uma ilha. Na manhã desta terça-feira, pergunto a mim mesmo se serei capaz de vencer a prova de viver rodeado de esperanças por todos os lados. Que maravilha o orvalho, que sol mansinho mas radioso, que brisa delicada, que estranho tremor o da liberdade e da expectativa! Parece que me basto a mim próprio. Os demónios, esses, parecem compensar o que os deuses vão tirando.  Logo mais a lua virá grande?

12 comentários:

  1. Se não vier, pega numa folha e desenha-a. Terás uma Lua só para ti. É o que eu faço. :)

    Um beijo, I. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho mesmo jeito nenhum para desenho. Ainda me lembro uma vez, ainda na escola primária, tentei desenhar o meu cão e saiu um cavalo quarto de milha - puro sangue. :)

      Beijo, maviosa Alaska.

      Eliminar
  2. E os bebés gostam da lua cheia. Ou a lua cheia gosta dos bebés?
    Será que vão vir muitos?
    Beijo, Impontual

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo pode acontecer a partir do momento em que o Sol diz para a Lua: vem.

      Abraço, Isabel.

      Eliminar
  3. como é que os demónios compensam o que os deuses tiram?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas cuidado, ana, se for a peso vale pouco. Diz que são apenas 21 gramas.

      Eliminar
  4. A lua veio grande mas chegou demasiado tarde. Um céu escuro. Nada de ouro. Os demónios ganharam.

    ResponderEliminar
  5. O que tu viste e sentiste foi obra de deuses, e não de demónios.
    Ah e segui o link da geringonça que afinal trabalha. E fiquei feliz.

    ResponderEliminar
  6. É verdade,Cuca. Isto tende a piorar à medida que o dia avança.

    ResponderEliminar
  7. Conta corrente, nos dias que correm o sol é coisa de pouca dura. E a lua amanhã se calhar nem aparece.

    Abraço.

    ResponderEliminar