segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Daqui ouve-se o frio e Glinka


Um frio imaculado, mudo, fundo... vazio.

11 comentários:

  1. Impontual, e ao mesmo tempo podemos ler o amoriscados.
    Muito fria, sim, esta noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...às vezes, em dias mais conseguidos, lá encontramos uma certa consolação em amar e ser amados. Mas não se pode confiar.

      ( Já viu a lisura deste frio, Isabel?)

      Eliminar
  2. Mas o frio com Glinka fica todo outra coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda uma outra profundidade.

      Boa noite, Bea. Obrigado por ter vindo.

      Eliminar
  3. Há frios que confortam.

    Bom dia, Impontual :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O frio que nos faz abraçar.

      Boa tarde, Agora, Maria Eu.

      Eliminar
  4. O frio com a música escolhida fica sublime, Impontual. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O frio só é chato quando não sabemos o que fazer com ele. .)

      Eliminar
  5. O meu frio não sabe música nem a música, mas também não é mudo, o que é uma pena... duas, aliás.
    Bom dia, Impontual

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde , Querida Olvido.

      Quando não se sabe o que fazer com o frio na barriga fica-se com o corpo todo gelado. É isso que me diz?
      Acontece-me muito com os pés. .)

      Eliminar
    2. :)
      Quando há um certo friozinho na barriga - daqueles bons - isso é porque tudo o resto está a encalorar-se. Eu tenho o frio nos pés, não na barriga... era muito melhor trocar ;)

      Eliminar