terça-feira, 11 de abril de 2017

Ao sul

Há olhares cândidos e provocantes ao mesmo tempo, há graça, ousadia e humor, há vestidos azuis, há a tarde plena, há ar atlântico, mediterrânico e andaluz, há perfis anglo-saxónicos, há a chama ágil do sorriso, a surpresa do diálogo, a impaciência de mãos e lábios. As distâncias e as interdições foram abolidas, os frutos do conhecimento são acessíveis em ecrãs de bolso, a árvore da vida sem tempo oferece a sua seiva em todos os recantos. Não há nada que falte no paraíso, ao sul. Só não tem aquela aurora refulgente. Não posso ficar.

18 comentários:

  1. Um texto que se lê com ternura no olhar e um sorriso nos lábios...até chegarmos ao fim e me apetecer exclamar - ligeiramente desolada: Ohhhh...!! :)
    No paraíso ao Sul não há aurora boreal, apesar da globalização que aproxima tudo e todos, é isso?

    Bom dia, Impontual. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem a suprema manhã não somos ninguém. Não sou ninguém, queria eu dizer.

      Boa tarde, Maria Antonieta.

      Eliminar
  2. e não tem o Norte :)

    muito bonito, Impontual. Tarde boa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é isso , Laura. Não podemos andar desnorteados.

      Boa tarde.

      Eliminar
  3. Exactamente, para ser bom, falta-lhe o Norte :-))

    ResponderEliminar
  4. Também não podia ter tudo. :)
    Boa tarde, Impontual!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... mas a suprema manhã tinha de ter, Isabel. :)

      Eliminar
  5. Respostas
    1. "Quando eu for, um dia desses, poeira levada no vento da madrugada,
      serei um pouco do nada..."

      Abraço.

      Eliminar
    2. Engraçado, já eu penso que "Quando eu for, um dia desses, poeira levada no vento da madrugada," é que serei um pouco do tudo.
      :-)

      Eliminar
    3. noname, está determinada em perder o norte?

      Eliminar
    4. Na mesma altura em que serei pó, serei também, rosa dos ventos :-)


      Eliminar
    5. Até lá, a cada instante, o universo chama-nos para que dancemos a vida. Vai esperar o vento (norte)? :)

      Eliminar
    6. Sem dúvida, norteia-me o Norte, esteja onde estiver, o vira e o malhão acompanham-me :-)

      Eliminar
  6. Todos os lugares têm os seus encantos, mas são poucos os que nos fazem querer ficar. Há sempre um lugar que não conseguimos abandonar, mesmo estando longe.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É da nossa responsabilidade não perder o norte, mesmo que estejamos a sul. Não é, Rita(Norte)? .)

      Bem-vinda.

      Eliminar
  7. Eu adoraria estar num tempero mais ameno, e falo de clima, e de paisagem de outra natura, e falo de alienação de índole material e afectiva, mas sei que o Norte tem aquele apego que não se despega a quem o carrega no ventre da alma :)

    ResponderEliminar