sexta-feira, 5 de maio de 2017

Onde está a verdadeira vida?

É esta a pergunta de um homem que teima em rejeitar as emoções aguareladas. O amor, longe de ser uma recriação, tem sido sempre o único pretexto válido da sua vivência, um dos raros ópios capazes de atenuar um insistente e alegre pessimismo. Apenas a irrevogável tendência para o sexo oposto o consola verdadeiramente. Prisioneiro dessa alegria oficial, durante longo tempo a geografia das suas necessidades, como se esse desejo essencial, juntamente com os seus ressentimentos, fossem os grandes mestres do amadurecimento.

25 comentários:

  1. Dessa não sei, sei alguma coisa sobre a vida verdadeira :-))

    Boa noite Impontual

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como vai, noname?
      Conte-me tudo.

      Eliminar
    2. Ah, se não sabe da vida verdadeira, alegre-se, terá encontrado a verdadeira vida :-)

      Eliminar
    3. Nadinha Trágica, mas muito pé no chão, o que é bem diferente
      :-))

      Eliminar
    4. Trágica,ão há nada mais trágico do que ter os pés no chão.

      Eliminar
    5. Não encontro tragédia nisso, e nunca impossibilitou que o meu outro lado sobrevivesse :-))

      Eliminar
    6. O que me diz é que, enquanto busca o sentido da vida, vai vivendo.

      Não é mau de todo.

      Eliminar
    7. Pelo menos, aleijo-me menos :-))

      Eliminar
  2. e o que faz numa sexta-feira à noite, Impontual?

    ResponderEliminar
  3. E não é, o amor, o único pretexto para que a vida valha a pena?

    Boa noite, caro Impontual :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É. Logo a seguir a estar vivo. Tão claro, tão óbvio, tão simples. Não é?

      Boa noite. Como vai, Maria

      Eliminar
  4. Meu caro
    Caí num caldeirão mágico, e quase morri, que tinha lá dentro a poção do que o meu amigo descreve, de forma excelente, e passo a citar "O amor, longe de ser uma recriação, tem sido sempre o único pretexto válido da sua vivência, um dos raros ópios capazes de atenuar um insistente e alegre pessimismo." E é tão bom :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O amor, não sendo propriamente uma habilidade, há-de estar muito perto da magia.

      Um abraço, meu caro CC.

      Eliminar
  5. "Mais que um erro de fundo, a vida é uma falta de gosto que nem a morte, nem mesmo a poesia, conseguem corrigir", mas ainda creio no vinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Fracassar na vida é ter acesso à poesia – sem o suporte do talento."

      Eliminar
  6. Impontual, o Amor é o senhor que conanda a vida.
    E esse senhor está em todo lado.
    Olha, e não interpretes as minhas falas como sermão de caris religioso, até porque me tenho como cidadã agnóstica.
    Bom sábado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Prometo que não leio nisso um sermão. :)

      Obrigado, Sandra.

      Eliminar
  7. Talvez no não desistir dessa pergunta. Nesse buscar.

    Bom fim‑de‑semana, Impontual :)

    ResponderEliminar
  8. Não costumo catalogar sentimentos, muito menos definir os tipos de Vida que há na Vida, Impontual! A minha, má ou boa, é verdadeira. :)

    Tenha um bom Domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É possível que nada tenha de ser perfeito, mas convém que seja verdadeiro. :)

      Eliminar