quinta-feira, 8 de junho de 2017

Recalcitrância

Antes de florescer, o tempo é uma pequena semente. Um vulto. Principio de fruto. Um dia, sobe a seiva mesquinha, rompe o galho, surgem os estames, os pistilos soldam-se, abre-se a flor. Em menos de um fósforo desvanece-se a formosura. O tempo instala-se de novo. Cai a flor. A maçã anuncia-se amarela. Não é a mão, não é o vento quem a derruba. É o voo de um insecto na névoa, o sussurro da chuva sobre as folhas, o crepitar da terra que alimenta as raízes.

E agora vou ali ouvir com muita atenção o "life is long" e já volto. Porque - como diz o poeta -  não gastaremos o tempo ele nos gastará.

4 comentários:

  1. Credo, Impontual...não seja assim tão recalcitrante.(olhe, que também eu sou)
    Esta beleza de texto que nos deixa, enquanto vai ouvir o Rodrigo Leão, não é mais do que a Vida a acontecer, a Natureza a cumprir o seu papel no Universo...
    Vá lá, mas volte!

    ResponderEliminar
  2. Um instante, também sinto o tempo a voar, deixa-me, no entanto, algumas marcas. É quase só por isso que dou por ele.
    ~CC~

    ResponderEliminar
  3. Tempo de qualidade!...duas horas, mais coisa menos coisa, muito bem gastas, ainda que no meio de uma imensa multidão. Aposto consigo, Impontual. :)

    [pura inveja mas da boa!!! :)))]

    ResponderEliminar
  4. passo a vida a tentar agarrar o tempo para o parar, nem que seja um segundo...

    ResponderEliminar