terça-feira, 24 de outubro de 2017

Sem legendas

23 comentários:

  1. Talvez fosse preciso...

    Bom dia, caro Impontual :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... e muito mais.

      Boa tarde Agora, caríssima Maria Eu.

      Eliminar
  2. Mainada!

    :-)

    Nada tendo a ver, mas fazendo lembrar uma história que se conta, por aqui: Uma senhora, cuja forma de vida estava a ser julgada, em determinado momento, já farta de recriminações por parte do juiz, lhe retruca com voz certeira: Pois saiba V. Exa que: Daqui como, daqui bebo, daqui pago a quem devo, e é daqui que lhe hei-de pagar se resolver me condenar.

    ResponderEliminar
  3. Queria ser esse juiz para ver esse espetáculo!!!!
    Ela está mostrando a ele o ganha-pão!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro PDR, possivelmente por desconhecimento da causa, o seu comentário é deslocado e algo infeliz. Estive para eliminá-lo, mas o livre arbítrio a que este blog está habituado e o respeito pela liberdade de expressão de quem cá vem, impediram-me de o fazer.

      Deixo-lhe uns links que talvez possam ser ilucidativos
      https://sol.sapo.pt/artigo/585858/adulterio-vs-viol-ncia-esta-nao-e-a-primeira-decisao-polemica-do-juiz

      https://jumpshare.com/v/XmGPjJyBg6mJMdehLjp8

      Eliminar
  4. Lembro-me perfeitamente desta foto e do que levou à moça estar naqueles preparos...

    ...e ficou devidamente provado...

    LOL

    Abraço :)

    ResponderEliminar
  5. um valente pontapé nos tintins seria mais apropriado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma solução Sacana, mas não de todo desapropriada.

      Eliminar
  6. Impontual, a foto sem legenda e os comentários até aqui publicados, sugerem-me duas questões:

    - Deixar a sugestão da leitura integral deste acórdão o mais desligada possível das notícias veiculadas sobre o assunto e sobretudo da forma como têm sido dadas: https://jumpshare.com/v/XmGPjJyBg6mJMdehLjp8

    - Quando se faz uma publicação numa plataforma de acesso público, estamos sujeitos e devemos estar preparados para qualquer interpretação que se faça do que mostramos, tanto dos identificados com o assunto que se aborda ou que gostaríamos que os outros vissem, quando se trata de uma alusão, como é o caso, como outras pessoas que não fazem a mínima ideia.
    Tenho a sensação que nos esquecemos muitas vezes que podemos ser lidos e vistos por pessoas de qualquer parte do mundo.

    Boa tarde, aqui com Verão durante o dia e Outono à noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isabel, li o acórdão e todo ele banaliza actos de violência e agressão.

      Sobre a interpretação diversa dos leitores por razões igualmente diversas, inclusive o desconhecimento da causa, como se depreende pelo meu comentário acima ao comentário do PDR, tenho absoluta noção disso e por essa razão não o eliminei e tentei elucidar.

      Abraço.

      Eliminar
    2. Relativamente ao assunto do 2º. ponto (meu), referi-o precisamente para dar ênfase à opção tomada.

      Eliminar
  7. Reação ao juiz Neto de Moura?! Só pode!

    ResponderEliminar