terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Posídon


Meu Deus, apresento-vos o meu coração. Só vós conheceis as minhas dúvidas e hesitações, a violência das tentações. Sou um homem da beira do mar que vive na grande cidade e que calcorreia ruas, atravessa avenidas e dobra esquinas onde ouve a palavra à saída da boca dos vivos. A cada esquina, percebo um rumor que me gela, o rumor da desilusão. Todavia, os pequenos bípedes cavalgam o seu pedaço de vida com a raiva de jamais se verem separados dela. O rumor da desilusão é imenso, o apego a essa existência é-o ainda mais.

25 comentários:

  1. Basta um olhar para esse mar para esquecer as desilusões.
    Uma excelente tarde Impontual
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade JI. O mundo é grande, mas cabe numa janela sobre o mar.

      Eliminar
  2. O mar é um bom balsamo para desanuviar

    Hoje; Do Gil que se econtra ainda um pouco combalido, motivo por qual sou eu a visitar...»» Amor:- Essa dor Oculta

    Bjos
    Votos de uma boa Terça-Feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Quero ser feliz /Nas ondas do mar"

      Obrigado, Larissa

      Eliminar
  3. super relaxante :)
    beijinhos

    | Último Post |
    https://eyeelement.blogspot.pt/2018/01/exercicio-em-casa.html

    ResponderEliminar
  4. Isso, Impontual, apele ao Deus dos Mares, só Ele lhe poderá valer...:)

    Durma bem, o sono dos justos.

    (amanhã é outro dia)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje é outro dia. Tenho sol.

      Obrigado, Janita.

      Eliminar
  5. Fui ao cardiologista que me assegurou que o meu coração não tem nada.
    Fiquei triste, pensava que tinha lá guardados bons sentimentos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, Tétisq. Antes vazio que partido. .)

      Eliminar
  6. Agarramo-nos à vida ainda que tentemos ensaiar o desalento. É mais forte do que nós! Havendo um mar a que se regresse,então...

    Beijos,Impontual :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O apego à existência é sem duvida uma coisa bestial.

      Beijo, Maria Eu.

      Eliminar
  7. É o meu ponto preferido embora por razões óbvias só passeie por lá- Amei

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, Cidália. Às vezes o que há a fazer é passear-nos.

      Eliminar
  8. Se a cada esquina o que se tem é desilusão, é o que mais temos, se nos desfazemos dela, o que nos resta? Será o apego à desilusão a ilusão de a converter?... e como qualquer ilusão, apenas mais uma desilusão a quem o tempo não arrancou a máscara? e com isto o tipo desfia-se e as esquinas dobram-se em rumores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olvido,
      Achei uma maravilha isso de fazer de cada desilusão uma nova ilusão.
      Era perfeito.

      Bom dia. Como vai?

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. ... vou entre uma desilusão e outra, com pequenos despontares de coisas boas :) mas ilusão e desilusão são uma mesma coisa, só chamamos de ilusão quando se desfaz em desilusão... até lá são crenças, sonhos, desejos, ou simplesmente, verdades nossas.
      (No comentário inicial, só agora vi, não é "tipo" é tempo, esse tipo barrigudo e discreto)
      Bom dia, Impontual :)

      Eliminar
  9. Impontual, até ver gosto do seu coração.
    porque gosto muito dos seus textos e porque os textos não se escrevem, grande parte, sem ele.

    ResponderEliminar
  10. Man With a Chair,

    dear,se escreves Deus com maiúscula, deverás escrever o 'vós' com idêntica grafia :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que o lapso foi mais o de ter escrito deus com maiúscula.

      Eliminar