terça-feira, 13 de março de 2018

Setenta e nove

A Bloga está a passar por uma crise de realidade. Os escribas são todos iguais, não descansam até o mundo que inventam substituir aquele em que vivem e que os desilude. É tão pueril! As palavras não são as coisas, e por mais que profiram as suas encantações, nenhum milagre se produzirá segundo os seus desejos. O mundo é rebelde e não tem lógica, não obedece a qualquer injunção das palavras, é um monstro e nós os seus lacaios. Não acham?

__ Não!?

34 comentários:

  1. credo, Impontual. não precisava falar tão alto...
    vá dormir a sesta, vá...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. caramba, ana! não é capaz de condescender perante este pobre ímpio?

      Eliminar
  2. Não! O mundo é rebelde mas tem lógica. Ilógicos são os homens...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portanto, um palco e um elenco permanentes. É isso? :)

      Eliminar
    2. O palco, à partida, será permanente Já o elenco... Tenho sérias dúvidas que resista.

      Eliminar
  3. oh moço, tu e muito patricinho, viu?
    larga mao de ser chato ae e veim logo pro forro!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LK, obrigado pelo carinho sempre especial.

      Onde é a batucada?

      Eliminar
  4. Crise de realidade, Impontual?!
    Fez-me lembrar o artigo da Maria João Avillez no "Observador".

    E não, os escribas são todos diferentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É capaz de ter razão, Isabel. As realidades são todas iguais.

      Eliminar
  5. Às vezes I. é uma questão de sobrevivência. Eu sou muito criança. Admito. E espero continuar a sê-lo daqui a 20 anos. Quero rastejar no chão, subir árvores, dançar à chuva, e em cima da cama, saltar em todos os charcos. E sonhar. E sim é também sei que a vida é uma cabra. Que cerca-nos em todas as esquinas. E nos destrói. E que raramente tudo corre como planeado. Mas deixe-me sonhar.

    Um abraço, I.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Alaska,
      Eu, sonhador inveterado, quase me sinto na obrigação de a desiludir alertando-a que sonhar, por vezes, é mais cruel do que a própria realidade. É um acto de crueldade que nos deveríamos abster de infligir a nós mesmos.

      Um abraço apertado.

      ( quer que a leve a casa?)

      Eliminar
    2. Se calhar tem razão, I. Sonhar que poderia ser mãe quase me matou. E agora o pouco que resta de mim é esta coisa que continua a sangrar. E que tem ataques de pânico com frequência.

      Diga-me, I., senão pelo sonho, como posso eu continuar a viver?

      (quero sim, obrigada)

      Eliminar
  6. São todos iguais?? Quem dera... e lembro-me já de meia dúzia de escribas de alto gabarito a que o resto da bloga não chega nem aos calcanhares (com muita pena minha, que não me importava de tais talentos)... que lhe deu Sr Impontual?... Nem parece seu, ou a realidade que nos entrega como sua... deu-lhe um amoc, ou foi assim ad hoc? ;))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os escribas são todos iguais. Em potência todos porfiam na laboração de uma imagem subliminar do seu paraíso.
      Uns com mais talento que outros, tem razão a Olvido.

      Um abraço (não direi ad hoc) à toa.

      Eliminar
  7. Pois fique a saber caro Impontual, que em toda a bloga - do meu blogobairro - só conheço três escribas que merecem esse epíteto.
    Dois de género feminino e um do masculino...tudo o resto são blogs de puro entretenimento, e olhe que a sua bloga, não difere muito da minha...

    Tenha uma muito boa tarde, I.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita, a minha bloga é um poema de Mario de Sá-Carneiro.

      Lá anda a minha Dor ás cambalhotas
      No salão de vermelho atapetado -
      Meu cetim de ternura engordurado
      Rendas da minha ânsia todas rotas...

      A sua não sei qual é, mas não há-de ser muito diferente.

      Um abraço. :)

      Eliminar
    2. Ah...canudo...lembrei-me agora de um outro que também é um excelente escriba. :) Não, não é o Impontual, lamento!! :(
      É simples, directo, de nobre sentimentos, diz/escreve o que quer, sem floreados nem babosices. Escreve virado para o lado dos sonhos lindos, para enganar a realidade, e como sonha Deus meu!!

      Tá dito e nã retiro uma vírgula. Sei que o Impontual é homem para encarar quaisquer palavras, sem que sejam de pura adulação, verdade?

      Eliminar
  8. Setenta e nove?
    Não entendi o título. Pode esclarecer-me, Senhor Impontual

    Que seria das coisas sem as palavras?
    Consegue imaginar o mundo sem elas, as palavras?
    Diga-me tudo sobre isso.

    Um abraço, Senhor Impontual

    :)


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada. Não consigo imaginar. Mas não exijo nada das palavras e muito menos de quem as produz. Aceito-as como são. Embora, às vezes, a inconsequência não me comova menos que um acto de fraqueza.

      Como vai, Maria?

      Eliminar
    2. Vou bem, Senhor Impontual
      Obrigada pelo sue cuidado.
      Hoje ando às voltas com o roxo
      não arroxeada de raiva
      mas sim de luz

      ;)

      Eliminar
  9. Concordo em género, número e grau, Impontual. Qualquer dia, a bloga passa a chamar-se blooooooga, assim dito, a meio de um longo bocejo :O (com raríssimas excepções, como o é o seu caso).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado por ter vindo, LB. Traz o seu vestido às flores?
      É preciso tão pouco para me fazer feliz.

      Eliminar
    2. Ora, Impontual, estou cá sempre, só que (inacreditavelmente) calada :)
      O vestido foi para lavar, mas trago-o em sonhos.

      Eliminar
  10. Caiu-lhe mal a lagosta do almoço?
    Tanto azedume, deve ser problema vesicular.

    As melhoras :-))

    ResponderEliminar
  11. Calma impontual, que vem aí outra tempestade :)))

    Hoje:- Âmago em transparências
    .
    Bjos
    Votos de uma boa Terça - Feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É incrível, Larissa. Os seus títulos sao de uma latitude impressionante.

      "Âmago em transparências"

      Eliminar
  12. Mas como é que nós sabemos que as pessoas inventam se não nos encontramos lá dentro do mundo delas?

    Eu cá acho que todos nós temos o mundo dito real e só passamos o que queremos, o que me parece muito saudável, alimentar o voyeurismo é que é estranho, e entretanto temos aquele lado todo ele feito de ilusões. Saudável isso, penso eu, mas que sei eu...

    Boa noite, Impontual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Encontramo-nos no terreiro comum, que é o lado de fora.

      Nao é mau que nos guie a ilusão, naturalmente.

      Boa noite Maria Madeira. Como vai?





      Eliminar
  13. Ora Impontual, que seria das vidas sem sonhos sobre vidas diferentes das que se têm? Uma grande tristeza, isso sim...
    Uma boa noite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente,GM. Desde que não sejamos meros lacaios desse mundo fantástico.

      Bao noite.

      Eliminar
  14. Pois eu gosto muito destes encontros! Até fico com saudades se os meus bloggers favoritos se ausentam, ainda que por pouco tempo.

    Beijinhos, caro Impontual :)

    ResponderEliminar