terça-feira, 17 de abril de 2018

Entidades

Estou aqui sentado na cadeira de baloiço que se encontra na sacada virada para o mundo. Tiro umas baforadas de uma cigarrilha, Fiódor deixa-se sonolento a meus pés, no colo tenho um livro, fechado, duro, de capa dura, "branco no branco", olho desinteressado a garrafa Cabeça de Burro Tinto 2013 que se encontra sobre a mesa espaldar de teka envernizada. A noite ainda está fria. Não posso ir para dentro. Há mais de uma semana que, sempre que passo por perto da prateleira dos velhos, David Mourão-Ferreira me azucrina os ouvidos: "não foi nada, não foi nada, podia ter sido amor..."

Bambo, por aqui me quedo. Estou bem servido!

18 comentários:

  1. Respostas
    1. Estou capaz de ir dormir ao sótão esta noite.

      Eliminar
    2. anda daí! :)
      poderás passear polla beira-mar, arrefecer nas areias só pelo gosto de saber que aquecerás no teu quarto, olhando o tecto como quem olha a tela mais apreciada :D

      _______
      cuidarei que te seja deixado um bom tinto na mesinha junto à janela.

      _______
      não sei se falavas da hospedaria, mas falo eu :)))

      Eliminar
    3. Brindaremos ainda esta noite. :)

      Eliminar
  2. Vire-o de costas :-)

    Boa noite Sô Impontual

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me dá grande sugestão, noname. Não posso sequer aproximar-me da prateleira quanto mais virá-lo de costas.

      Eliminar
    2. Caramba Homem, faça-o às escuras :-)

      Eliminar
  3. Mas...em que labirinto se meteu?
    Espero que encontre a saída.

    Deixe lá, não foi nada, se anda nisso há uma semana, podia ter sido pior!
    Vá para dentro antes que se constipe...

    Quer uma pastilha para dormir?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita não quer oferecer essa magnifica pastilha ao David Mourão-Ferreira?

      Eliminar
    2. Claro que não, Impontual... Que ideia peregrina foi essa?
      O Mourão-Ferreira está sossegadinho. Quem anda num forte desassossego é o Impontual...:)

      Eliminar
  4. Pois a mim só me ocorreu que às vezes é desse estar "bambo" que se precisa, e da companhia do Fiódor, o resto que "nada foi" ou "tudo podia ser" é para ser "fumado" devagar, queimar a garganta e secar a boca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De cigarrilha ao canto da boca, em busca do equilíbrio nas bordas dos esboços não acabados e vacilantes? É um cenário airoso. :)

      Eliminar
    2. :)
      Airoso não sei...
      Incontornável talvez.
      Fugir dele para quê?!
      A cigarrilha (q também gosto) empresta um sensorial concreto - esse sim a vara que permite o equilíbrio na corda bamba.

      Eliminar
  5. A minha escolha de hoje
    :)
    https://www.winesbyportugal.com/loja/cadao-tinto-2012/

    ResponderEliminar
  6. A "cadeira de baloiço", pode ser.
    A "cigarrilha", pode ser
    O "Fiador", pode ser.
    O "livro, fechado, duro, de capa dura, "branco no branco", pode ser.
    A "garrafa Cabeça de Burro Tinto 2013", pode ser.
    As noites continuaram a ser....
    Agora, o que podia ter sido, nunca será. E o senhor David Mourão Ferreira, bem o saberá(saberia?!)...
    Os fantasmas fecham-se no sótão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Venha daí, Mafalda.
      http://mas-o-texto.blogspot.pt/2018/04/sarau.html#comments

      Eliminar