segunda-feira, 7 de maio de 2018

Coaching

De dentro do tailleur de corte sóbrio sobressai um ar decidido e uma presença de certo modo marcante. Encarna com bastante facilidade e perfeição a personalidade de mulher segura, independente, aventureira e destemida. Impele-se no aproveitamento de todo o seu potencial, monitoriza o seu desempenho, respira e inspira confiança. Até brincou em analogias: «amar nas margens do Douro é muito fácil, difícil é amar à segunda-feira à noite em casa». Indicia um carácter indomável e ao mesmo tempo um sorriso fácil e caloroso. Chega com propósito e facilidade à gargalhada contagiante. Gosta de estar de bem com a vida, mas de forma fulgurante. 
Não fosse aquele detalhe do cachecol do FCP, também ele de fino recorte, atado na asa da carteira e até se teria ultrapassado o facto de ter chegado atrasada. Agora assim...

16 comentários:

  1. é sempre os detalhes e os pormenores, não é?

    mas não consegue esquecer isso, é que assim como assim, ela é impontual e isso já é qualquer coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre. A impontualidade é um modus vivendi terrível.

      Eliminar
  2. Estou a ver que essa profissional vai ter muito trabalhinho pla frente.
    Ensinar alguém a gerir a assimilação de vitórias alheias não deve ser pêra doce...:)

    Boa tarde, Impontual.

    (vai ver encontrou a sua alma gémea)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é pêra doce. O que é uma alma gémea, Janita?

      Eliminar
  3. Detalhes, são os pequenos grandes nadas, que retalham a primeira visão encandeada.

    ResponderEliminar
  4. Compreendo! Eu, inclusive, pensaria da mesma maneira fosse o cachecol de que clube fosse...

    Abraço :)

    ResponderEliminar
  5. Senhor - com ésse grande - Impontual, este seu texto de hoje está de se lhe tirar o chapéu. Ou, neste caso, de se lhe tirar o cachecol :)

    ResponderEliminar
  6. Gostei da pose, mas custou-me engolir o cachecol do FCP...
    Grande (pequeno) texto!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Pfff...Vê-se que alfacinhas não gramam os do "puârto"...
    Mentes padronizadas... - digo eu, que nem gosto de futebol.
    também gostei do texto.

    ResponderEliminar