segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Se o Outono fosse meu...*

Começaria por mover-me dentro dela. Seria diferente de tudo o que experimentara até então. Ela abrir-se-ia a um nível não físico que aumentava a intensidade da sensação física dos corpos a moverem-se em simultâneo. Eu estaria consciente de me encontrar dentro dela, mas era como uma experiência extra-corporal. Numa palavra: comunhão.

* baseado numa belíssima ideia que vem daqui.

6 comentários:

  1. ....e o que o impede de imaginar que o Outono é seu, Impontual?
    Tome-o emprestado, faça com ele o que bem entender, homessa!

    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe, Janita, o Outono desenha tantos caminhos...

      Eliminar
  2. A Mia escreve maravilhosamente. E tu complementas tão bem as suas palavras.

    ResponderEliminar
  3. Boa noite, Impontual,
    acrescentando o que a Alexandra Alves escreveu (agradeço o cumprimento), quero reforçar a ideia de que as palavras aqui escritas, fazem-me sempre chegar a outro patamar de significados, sempre plenos de sensibilidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Mia.
      Saudar a belíssima ideia e olhar cada folha caída como uma flor.

      Abraço

      Eliminar