quarta-feira, 6 de junho de 2018

Quando vier a Primavera, se eu já estiver morto, as flores florirão da mesma maneira *


* Alberto Caeiro, heterónimo de Fernando Pessoa - Poemas Inconjuntos

15 comentários:

  1. Ora cá está uma bela ideia para adaptar a epitáfio minimal (inspirado na Capitã): "morreu".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Ou as flores bebendo a jarra.
      E a mesa por baixo.
      A sonhar.

      Eliminar
  2. Essas flores - cujo nome desconheço - encantam-me desde há muitas primaveras. Quando ao sol, na posição mais aberta, parece que sangram de tão lindas.
    A ver se esta (primavera) chega logo, mas é.
    :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com sua licença Sô Impontual.

      Senhora essas flores chamam-se - Lampranthus - também conhecidas por chorinas e vago de arroz, encontra-as em várias cores.
      Quanto à Primavera ela está a acabar antes de chegar :-)

      Eliminar
    2. Susana, noname

      Quero crer que nada poderá deter a Primavera. .)

      Eliminar
  3. impontua,l tendes churinas no seu jardim?
    Também as tenho, mas o jasmim, essa flor singela, tem uma personalidade muito especial :)

    ResponderEliminar
  4. Dói-me pensar que
    apesar de eu já as não
    ver florir e crescer,
    a Primavera continuará
    a alegrar a face da Terra.
    Se as minhas cinzas
    pudessem servir de adubo
    para as tornar mais belas
    ah, como eu sorriria feliz
    sob as suas raízes...


    ResponderEliminar
  5. Essas precisam de sol para abrirem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois que o sol venha depressa, que eu preciso desse sorriso. :)

      Eliminar
  6. E o mundo continuará igual, somente nós que não estaremos mais aqui.

    Belas flores!
    Beijos, Impontual.

    ResponderEliminar